Puerto Natales e Torres del Paine – Parte 2

Puerto Natales e Torres del Paine – Parte 2, 28 a 30 de dezembro de 2011.

No dia seguinte fomos para Torres del Paine, no caminho nossa embreagem começou a dar sinais de que estava com os dias contados, o Julio seguiu viagem trocando a embreagem apenas nas rotações. Os ventos estavam realmente fortes e acompanhar a turma de moto durante a viagem foi impressionante, eles tinham que brigar com o vento para se manterem na estrada, foi a primeira vez que vimos uma moto inclinar-se para o lado contrário da curva.

 

Vento e as motos na Patagonia.

 

A viagem foi muito cansativa e paramos para fazer um acampamento improvisado numa fazendo que encontramos no caminho. Um pouco de frio e vento com sopas de pacotinhos e pão com manteiga, nada mal para improvisações.

 

Acampamento improvisado em uma fazenda na Terra do Fogo.

Sentimos a força do vento ao passar pelo Estreito de Magalhães, foi a primeira vez que pegamos a balsa com ondas que respingavam nos carros. Fizemos novamente uma parada no posto do Luis. Entre as várias coisas que ele coleciona, uma delas é placas de carro de vários países diferentes, mas falta a do Brasil. Meu pai prometeu enviá-lo, ele ficou tão feliz que o presenteou com um lenço de cabeça igual ao que ele usa, preto de caveirinhas. Começamos a conversar e ele nos contou que os ventos são tão fortes na região que ele já capotou um carro empurrado pelo vento, será que os motociclistas ficaram com um pouco de medo depois de conhecer este fato?

 

E o vento quase levou...

Ficamos todos numa cabana em Puerto Natales e no dia seguinte fomos a Torres del Paine, infelizmente já fazia três dias que um incêndio começou uma terrível devastação pelo parque. Havia muita fumaça no caminho, mesmo assim o parque estava aberto à visitação, mas apenas uma parte, foi possível avistar as torres. Bom, eu fiquei novamente esperando por eles, quando se trata de acompanhar meu pai, eu to fora, os homens que são homens já passam dificuldade, imagina eu! Eram 9 km de trilha morro acima e 9 km morro abaixo, todos vestidos de roupa de passeio, com calça jeans, abastecidos com uma garrafa de água e um pacote de bolacha e meu pai querendo quebrar recorde de tempo, ultrapassando todos que estivessem no caminho. Tive uma agradável tarde de leitura e soninhos aconchegantes, enquanto eles…

 

Devido à fumaça, mal se pode ver as montanhas atrás.

 

Ponte na trilha para as torres - Julio, Timm e Zezo

 

Janio e Zezo nas Torres del Paine!

Anúncios

Puerto Natales e Torres del Paine – Parte 1

Puerto Natales e Torres del Paine, 20 a 23 de dezembro de 2011.

 

De volta ao Chile, acho que já perceberam o quanto gostamos de lá. As pessoas são muito educadas e tudo no Chile parece ser mais gostoso. Logo que cruzamos o Estreito de Magalhães em direção a Puerto Natales começamos a avistar algumas fazendas com placas de precaução, pois eram campos minados. Para nós, isso é coisa nova!!

Peligro!

Passamos por uma vila fantasma, coisa de filme, grandes casarões abandonados com as janelas quebradas, dois barcos grandes se deterioram à beira mar. Os turistas que passam por ali param curiosos, se perguntam o que aconteceu, fotografam e seguem, assim como nós.

Vila Fantasma - Patagonia Chilena

Barco fantasma - Patagonia Chilena

Cozinha Fantasma - Patagonia Chilena

Barco Fantasma - Patagonia Chilena

Interior do depósito fantasma - Patagonia Chilena

No caminho paramos para dormir em Laguna Blanca no posto do simpático Luis, um jovem senhor que nos recebeu muito bem, comemos uma sopinha deliciosa e tivemos agradáveis conversas. Luis viveu alguns anos em São Paulo e em busca de uma vida tranquila, construiu ali o seu paraíso de sossego.
Puerto Natales é uma cidade pequena, turística, com diversos bares e restaurantes bem transados. Lá ficamos na pousada Coloane, uma pousada muito confortável e tivemos momentos agradáveis com o dono Juan. Conhecemos também um casal de alemães, que nos deram a honra de assisti-los dançar salsa com sorriso no rosto e muito desinibidos, essa não é bem uma atitude que esperariamos de alemães, mas assim é a vida, sempre surpreendendo.
Torres del Paine… uma vez alguém nos disse para não perdemos nosso tempo em conhecer este lugar, mas esta mesma pessoa também disse que se decepcionou com o Rio de Janeiro. Foi ai que percebemos que sua visão de lugares interessantes e atraentes é bem diferente da nossa… Rio de Janeiro continua lindo e acreditamos que Torres del Paine também.

Vista do Lago Sarmiento - Torres del Paine

E realmente é espetacular. Nem havíamos chegado ao parque e já estávamos maravilhados na primeira parada do lago Sarmiento, um tom azul esverdeado lindo, diferente da cor de todos os lagos que já havíamos encontrado. E lá no fundo aquelas maravilhosas montanhas.

De longe - Torres del Paine

O percurso do parque é de aproximadamente 60 kilometros, com várias paradas para apreciar a região, as Torres, e o que adoramos foram os Cuernos del Paine, tem também algumas trilhas para chegar mais próximos dos melhores mirantes. Lagos, glaciais, montanhas, cachoeiras e jardins naturais espetaculares, impossível não gostar.

Los Cuernos del Paine

Torres del Paine

ouhh... baby... yeah!

Antes de voltar para o Ushuaia, resolvemos dar uma passadinha em Punta Arenas para visitar um cemitério, mas não é qualquer cemitério, este há muitos anos vem cultivando ciprestes e podando-os milimetricamente com tanta perfeição em forma de… pepino, ou outras coisas que você possa associar a esta forma. Muitíssimo interessante.

Cemitério de Punta Arenas

Arvore curvada pelo vento na Patagonia chilena