Chuí

Chuí (Parte 1), 1 e 2 de setembro de 2011

Seguimos em direção ao Chuí, mas no caminho aproveitamos para conhecer o parque do Taim. Uma das aves símbolos do Taim é o Tahan, porque o som do seu canto parece soar como “taim, taim”.

 

Tahan do Taim

 

Lá conhecemos Paolo, um Italiano de Genova  e antropólogo. Ele está rondando a região dos pampas fazendo diversas pesquisas. Demos uma carona para ele até o Chuí e fomos tendo agradáveis conversas no caminho. Queríamos muito almoçar um churrasco, mas o preço estava um pouco acima do esperado e, como chegamos um pouco tarde, os buffes já estavam pedindo socorro. Comemos então um bauru. Ruim, acho que um dos piores que já comemos. Era um bife fino como um papel empanado e frito. No fim do dia a azia estava gritando.

Na divisa Brasil x Uruguai com Paolo

Passeamos um pouco pela avenida Uruguai, que fica no Brasil e na avenida Brasil, que fica no Uruguai. Complicaram a nossa cabeça. O câmbio estava de acordo com o esperado. A princípio não vimos grandes vantagens nos descontos dos produtos importados com relação aos preços do Brasil. Claro que foi comparando o preço um barril de Heineken. Depois fomos procurar melhor e achamos muitas coisas com preços ótimos e grandes variedades de produtos.

Anúncios