Posadas

Posadas, 22 e 23 de setembro de 2011.

Passamos a fronteira muito tranquilos em direção a Posadas. Pegamos a ruta 14, uma das mais conhecidas pelos viajantes como a rota das extorsões. Os policiais estavam sempre lá, trabalhando, olhando os carros um a um. Ou tivemos muita sorte ou esse papo de extorsão foi exterminada. Seguimos em direção a Posadas, a cidade mais próxima das Missões Jesuítas argentinas. Lá ficamos num camping muito bem estruturado. Quando fomos jantar, o primeiro atendimento que tivemos na Argentina foi algo fora de sério. Deveriam existir clones do garçom Eduardo. Que educação e simpatia. Pena que com os adolescentes não foi a mesma coisa. Às 6 da madrugada resolveram nos acordar com uma música horrorosa que é moda por aqui. Prefiro não comentar o estilo para não ofender, mas  um dos piores estilos de musica que já ouvimos. Alguns argentinos já nos haviam nos alertado sobre essa moda. Mas tudo bem, aproveitamos para levantar acampamento e chegar cedinho nas missões.

 

Igreja da Missão de San Ignácio

 

Redução de San Ignácio

 

O ingresso é de R$20,00 para cidadãos do MERCOSUL, e vale para todas as outras reduções pelo período de 15 dias. Fomos direto ao Reduto de San Inácio, já que é a mais bem preservada. Diferente do Brasil, a igreja está em piores condições, porém todas as estruturas ao redor estão muito mais bem preservadas.

 

Casas dos Indigenas

 

Dá pra se ter melhor uma noção das casas da época. Tem ainda alguns vestígios da arquitetura. Durante o passeio pelo reduto tem varias explicações sobre cada construção que se encontra ali. É uma combinação maravilhosa de pedras e natureza mesclada com muita historia.

 

Calango

 

Mesmo assim é triste ver os indígenas ao redor do reduto vendendo artesanato, crianças pedindo dinheiro, e jovens tentando ganhar um troco como flanelinhas. Nem vivem inseridos na urbanização e nem vivem como os seus ancestrais, estão apenas tentando sobreviver na nossa selva de pedras.

Anúncios