Trujillo e Piura

Trujillo e Piura, 17 a 20 de março de 2012

 

Parada para descansar em Trujillo, relaxar os músculos tensos, ajeitar o carro, trocar óleo e filtros. As praias de Trujillo não nos agradaram, mas a comida sim nos encantou. Comemos pratos deliciosos, bonitos e baratos. Um pouquinho forte de pimenta, mas nada que um trono não resolva. Observação, antes de utilizar os banheiros dos restaurantes, cheque se tem água, pois muitos te deixam em uma posição bem desconfortável. Sabe aquela sensação de que todos vão enxergar na tua cara que você deixou uma lembrancinha a vista no banheiro?!?! Nunca passou por isso? Bom pra você!

 

Eu disse pra Hanna parar de brincar com a comida! Mas os dentes realmente estavam em nosso prato!

 

Dali fomos para as ruínas de Chan Chan. São cidades de civilização pré-inca protegidas por grandes muralhas de barro. O incrível está nos detalhes de desenhos que eles faziam nas construções, a grande maioria é réplica, mas muitos ainda estão em perfeito estado, muito impressionante.

 

Encontramos um famoso cachorro pelado peruano.

 

Hanna segurando a parede de Chan Chan pra não cair... pu dum pshh

 

Paredes internas de Chan Chan

 

Patio interno de Chan Chan

 

Detalhes de Chan Chan

 

Piscina dos antigos moradores

 

Dali, tínhamos a intenção de ir a Tumbes, última cidade que visitaríamos antes de entrar no Equador. No caminhos, pufff, o pneu furou, estávamos entre dois povoados em uma região com muitas fazendas a uns 400km de Tumbes. Mas despreocupados, pois tínhamos dois estepes. Pegamos o estepe que está dentro do carro, mas na hora de trocar, uma surpresa, a roda que compramos na Argentina, supostamente era de uma Ranger, porém tinha os buracos de tamanhos diferentes da nossa. Tudo bem, tínhamos um outro estepe debaixo do carro. Começamos a baixar o estepe, quando de repente a alavanca que baixa o pneu simplesmente quebrou. O pneu ficou pendurado e não tínhamos como tirar. Essa mesma alavanca também se utiliza para levantar e baixar o macaco. Tínhamos dois estepes que não podíamos usar e um macaco inútil.

 

Enquanto isso, milhares de moto taxis passavam pelo acostamento e nos sacaneavam derrubando nosso triângulo. Fiquei ali segurando o triângulo, se quisessem derrubá-lo tinham que passar por cima de mim, por sorte ninguém passou hehehe. Resolvemos, então, que a melhor solução era tirar o pneu furado e levar para consertar, para isso íamos precisar de uma carona que nos ajudasse, comecei a pedir ajuda, passou uma camionete com um casal, passaram reto, mas depois retornaram. Foi ai que conhecemos duas pessoas muito especiais, Emiko e Luis. O Julio foi com Luis arrumar o pneu no povoado mais próximo e Emi ficou comigo no carro. Quando retornaram eles nos convidaram para ficar na casa deles na cidade Piura, pois tinham um quarto disponível. Aceitamos, pois eles nos pareceram pessoas muito boas, muito mais do que poderíamos imaginar. Eles têm três filhos, Mari Carmen, Laura e Pablo, que são muito queridos, e uma história de vida muito linda de muito trabalho e conquistas. Começaram como vendedores ambulantes e hoje tem duas lojas enormes de departamento com roupas, calçados, cozinha, banho, etc. Um verdadeiro exemplo para a nação, reconhecidos e premiados pelo governo do Peru. Nos receberam como se fossemos da família, pediram para que ficássemos um dia a mais para arrumamos o carro e viajarmos com segurança. Apesar de todos os trabalhos que eles tinham, nos deram muita atenção e nos sentimos super bem neste ambiente familiar. Conhecemos também a Luiza que trabalha com eles, que se dedicou a me ensinar como prepara um ceviche caseiro e um delicioso lomo saltado. Nos encantamos com o cachorro Otro, que adora molhar a barriga no balde d’água. Ficamos emocionados com todo o carinho que nos receberam e esperamos sinceramente um dia poder revê-los, quem sabe em Florianópolis.

 

Otro

 

Laura e Mari Carmen

 

Luis, Hanna e Emi

Anúncios