Bariloche e Villa la Angostura

Bariloche e Villa la Angostura, 18 a 20 de janeiro de 2012

Pela manhã o Marcelo foi acompanhar a Flávia de carona com o dono do camping que estávamos e nós dormimos um pouco mais. Como o Marcelo estava demorando muito a chegar, resolvemos seguir para Bariloche, tadinho, ele teve um dia de cão. Vestido com blusa de lã em um sol de rachar, só foi nos encontrar no fim do dia, completamente exausto. No fim, tivemos a mesma impressão sobre a cidade, não nos chamou a atenção, talvez pelas cinzas. Mas decidimos seguir a viagem em direção à Villa la Angostura. Não ficamos um dia inteiro em Bariloche… acho que não é o tipo de cidade para a gente.

Uma praça de Bariloche... ooppss... Brasiloche

Villa Angostura, isso sim era o que imaginávamos que seria a cidade de Bariloche, charmosa, aconchegante, florida e com um comércio bem transado.

Villa la Angostura

Villa la Angostura

Apesar da cidade ter sofrido muito com as cinzas do vulcão, a cidade não perdeu sua beleza. Os lagos e as cabanas que tem na região são lindos, algumas pareciam casa de hobbits. A cidade nos agradou muito e as sorveterias/chocolaterias mais ainda.

Hmmmmmm

O Julio e o Marcelo viram uma lagoa tão linda que não se aguentaram e deram um mergulho, pela cara deles a água deveria estar muito gelada.

Algum dos muitos lagos próximo a Villa Angostura!

Outro lago próximo a Villa Angostura

A região é o tipo de lugar que dá vontade de ficar por muitos dias, e comer um monte de guloseimas, mas tivemos que seguir.
Passeando pela região dos lagos ficamos assustados com a quantidade de cinzas que caiu na, de vez em quando encontrávamos na estrada monte de cinzas acumuladas e algumas lagoas estavam completamente cobertas de pedras pomes, que são muito leves e bóiam com facilidade, é triste ver aquelas lagoas azuis se transformarem em um lago com cara de ambrosia.

Julio no lago de ambrosia

Paramos para acampar em Brazo Rincão, quase fronteira com o Chile. O camping onde ficamos tinha uma camada muito alta de cinzas, o pessoal de lá nos relatou do susto que foi quando o vulcão entrou em atividade, começou a chover pedras grandes de até 500 gr e depois uma chuva muito forte de cinzas quente e quando parecia que não podia piorar, começa a aparecer muitas pedras pequenas, destruindo muito do que havia por ali. Fico imaginando o pânico que eles viveram.

Que céu!!!

Que céu v2!

Mas isso não abalou o espírito dos pescadores locais, segue foto pra comprovar:

O moleque mandou bem hein!

Anúncios