Cuenca

Cuenca, 24 a 26 de março de 2012

 

Finalmente chegamos ao Equador, ficamos um bom tempo na fronteira para conseguir o comprovante da aduana, mas depois de duas horas de espera e despreparo dos policiais para nos atender pudemos seguir rumo a nosso novo destino. Passamos por milhares de plantações de banana e uma linda vegetação a caminho da serra, como é bom estar perto da natureza novamente. No Equador já ficamos um pouco mais felizes por ver finalmente a maioria das casas com reboco e aqui eles usam alho na culinária. Alho fez muita falta na comida do dia a dia. O arroz ainda continua um pouco sem gosto como no Peru e Bolívia, por isso continuamos a pedir pratos sempre sem arroz. Apesar da moeda ser o dólar americano, os preços por aqui estão bem acessíveis e o valor do combustível parece uma piada, é pelo menos cinco vezes mais barato que o Brasil, pena que o país é tão pequeno pra rodar.

 

Cuenca é uma cidade histórica com lindos edifícios coloniais, muitos restaurantes para todos os gostos. Não tem grandes atrações, o delicioso é andar pela cidade apreciar a arquitetura das casas e igrejas muito bem preservadas do período colonial. Um dos cartões postais da cidade é uma ponte de pedra que teve parte de sua estrutura derrubada, mas vale a pena o passeio.

 

Puente Vieja - Cuenca

 

A cidade é um bom lugar para relaxar e, para os que desejam, ao arredor tem muitos banhos de águas termais e pequenos vilarejos que aos domingos tem feiras com artesanato, comidas típicas e um especial porco assado que, infelizmente, não pudemos experimentar, pois o caminho para esses povoados estava fechado por um deslizamento de terra. Ficamos muito curiosos, pois a fila de visitantes era gigante, é uma pena quando isso acontece, mesmo assim a cidade vale o passeio.

 

Casa vieja - Cuenca

 

Iglesia vieja - Cuenca

 

Edificio viejo - Cuenca

 

Abobodas viejas da Iglesia vieja - Cuenca

 

Otro edificio viejo - Cuenca

Anúncios