Refúgio Tati Yupi e Reserva Itabó

Refugio Tati Yupi e Reserva Itabo, 25 a 27 de setembro de 2011.

Entramos no Paraguai pela Ciudad del Este, cruzamos a ponte da amizade, tão conhecida pelo trânsito de pessoas que viajam a este polo das compras. Na fronteira, ninguém pediu documentação e nem entregaram qualquer comprovante que validasse a nossa entrada, simplesmente pediram pra seguir. Grande erro nosso não ter exigido o documento. Chegando na cidade, fomos recepcionados por uma onda de flanelinhas que se jogavam na frente do carro para nos garantir uma vaga. Infelizmente para eles, estávamos apenas de passagem em direção ao Refugio de Tati Yupi. Encontramos este refúgio ecológico em sites de mochileiros na internet, pois nenhum guia que temos possui tais informações. Descobrimos que este local é um ponto de camping muito bem estruturado e o melhor, gratuito.

 

 

Antes de ir ao Refugio, tivemos que parar para pedir autorização no departamento de meio ambiente da usina do Itaipu. Lá dentro tem um Museu da História do Paraguai. Aproveitamos para visitar o museu, que é gratuito e possui conteúdo histórico muito interessante, além da própria estrutura. Ao lado do museu tem também um zoológico. Esse me deu arrepios, pois tinham muitos pumas e um deles estava muito irritado, dava pra sentir a fúria desse grandioso animal de estar ali enjaulado… Passamos direto.

 

Museu do Guarani

 

Quando chegamos para pedir autorização, descobrimos que infelizmente não existe mais espaço para camping no refúgio e que agora a visitação é restrita para utilização do espaço apenas durante o dia. Mas, descobrimos que havia um outro local muito interessante para se visitar e pernoitar, a Reserva de Itabo. Todas essas estruturas são administradas pela Itaipu.

Pegamos autorização para conhecer o refugio e a reserva. Aproveitamos para fazer uma breve parada no refugio e fazer um delicioso almoço caseirinho. Tinham muitos visitantes fazendo a mesma coisa. O bom é que lá dentro não pode ingerir bebida alcoólica e nem ouvir músicas em volume alto. Não que não gostemos das duas coisas, muito pelo contrário, mas isso com certeza evita de ter que aturar alguns malas, o que torna um clima muito sereno. Muitas famílias reunidas e grupos de jovens se divertiam jogando bola, crianças brincando no parquinho e soltando pipa. Um clima que, além de agradável, tinha um ambiente com ótima estrutura. Banheiros limpos e grandes, churrasqueiras com pia, passeios guiados, mirador, gramado delicioso para se deitar na sombra de grandes árvores.

 

Muita fome!!!

 

A reserva de Itabo fica a mais ou menos 45km dali se for pela estrada do interior. São diversos campos até a chegada. O Paraguai vive praticamente da agricultura, então o que não vai faltar são campos e mais campos para de apreciar. A terra é um barro quase que da cor bordô.  Quando chegamos à reserva ficamos bobos com o local maravilhoso à beira da represa. Avistamos um gramado enorme muito bem cuidado e algumas casas de tijolo à vista, cada casa com sua função. Tem o escritório, restaurante, casa dos vigilantes, entre outras. Tem também quadras de futebol, vôlei, mesa de sinuca e o melhor de tudo, uma casa enorme com varias suítes grandes onde podíamos escolher a que quiséssemos. Todos os quartos tinham ar condicionado. Uma sala grande com lareira, uma cozinha coletiva enorme e só nós ali para desfrutar daquele paraíso.

 

Ótima estrutura... e de "grátis"!

 

Paisagem bonita não falta em Itabó.

 

A única desvantagem é que não podíamos fazer as trilhas desacompanhados. Mas, durante o dia sempre tem um guia a disposição para acompanhar o visitante. A reserva tem aproximadamente 15000 hectares. Dizem que tem o risco de ter caçadores que invadem a reserva, por isso o guia vai bem armado para a trilha. Contém trilhas de 20 km com pequenas quedas de água e mata muito bem preservadas, além da própria represa.

 

Guia "preparado" para a trilha! Medo de pumas e caçadores...

 

Não conseguimos achar muitos animais na trilha para tirar fotos, mas tem um pássaro na região que demorei para conseguir pegar nas fotos, era sempre muito tímido. Eis que descobri que do lado da casa onde estávamos tinha uma grande árvore com vários ninhos desse pássaro. O canto dele era muito cômico, tinha horas que ele parecia estar rindo.

 

Nossos vizinhos!

 

Achamos todos os paraguaios ali da região muito simpáticos. Não havia um que não cumprimentasse com um sorriso e perguntasse se estava tudo bem. Ficamos surpresos com o Paraguai. Pensamos se no Brasil encontraríamos alguma estrutura do mesmo porte aberta a população. Será que existe? Alguém ai conhece?

About these ads

4 Respostas

  1. Paraguai detona, então?!
    Legal, legal!
    Saudades de vocês, porrax!

  2. Q legal Hanna e Julio. Muito bom ler os posts de vcs. Aproveitem muito a viagem e nos atualizem sempre. Bjs

  3. oi pessoass!!
    saudadess de vcsss!!!
    e cade fotos da fotografa???
    bjussss

  4. é hanna cade tuas fotinhos? estou com saudades. que mesunha lindinha hem?. beijão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: